O tempo passado em reprise, em zoom de detalhes na front esquerda de Kolinson, estimulou e muito a front direita; exatamente esta front, observava todo o comportamento condicionado repetido da criança em busca da melhor navegação da nave verde1jaia. Andando nos corredores limitados na maioria do tempo cíclico com repentinas presenças no núcleo central de comando; em pulos energéticos, Imixy Okuka se aproximava de Kolinson sorrindo e dizendo que teve lapsos de uma “grande ideia”, e que tinha certeza pra onde deveria coordenar a nave. Se posicionava no núcleo e com a ponta dos dedos desenhava linhas e setas adjacentes no painel holográfico.
– Esperem! – dizia sorrindo Okuka -, ainda não terminei!
Toda essa movimentação infantil causava arrepios sinérgicos no modo automático de Depressive, isso tudo enquanto decodificava todos aqueles rabiscos holísticos involuntários em que a criança brincava.
– Por favor kolin, já terminou com tuas experiencias? – mensagem  telepática com tons tristes de Depressive – preciso processar todos esses dados em algum momento.
– Ouviu Depressive?! Ele ainda não terminou! – Distraído com os desenhos de Okuka, kolinson teve um pequeno clarão temporal – Muito menos eu! Espere um pouco mais por favor.
Depressive esperou.
Kolinson precipitado, não esperou Okuka terminar, saiu da sala correndo, ignorando todas as telas e fractais do comando da nave. Apenas pensando que deveria manter o hábito de não deixar o tempo o enganar e anotar o mais rápido possível todas interpretações, do que pensou, no manuscrito diário, e isso em caráter de extrema urgente, antes da nave sair daquele espaço temporal em que estava.
Rapidamente chegou na sala de treinamento, foi direto a mesa de estudos, abriu a gaveta “Coisas pra fazer” (apelidada por Nojaz)  onde a caneta e o diário estavam.
A breve anotação no diário ficou assim:
“Medida do tempo fractal solar Yin 209.
Na celeste da nave um Aquário holográfico jorrando mercúrio.
A mais nova assimilação de comportamento inerte dentro da nave, fora a observação das escolhas espontâneas sem sentido, feitas por Imixy Okuka. Escolhas essas muito similares as escolhas de todos que entraram nesse ambiente.
Deixando assim uma possível compreensão que a nave Verde1jaia se comporta como um organismo vivo, modificando todas as ações individuais daqueles que tentam coordenar a navegação.
Um possível teste a fazer, seria a não-coordenação.
É NECESSÁRIO UM TEMPO PARA FORMALIZAR ESSE TESTE.”

No mesmo instante em que Kolinson terminou a anotação no diário, um alerta de perigo eminente dentro da nave se acionou, a Inteligencia Artificial remota (Depressive) se assustou de modo friu. Okuka parou de desenhar livremente e se viu no centro das 28 telas holográficas, ao núcleo da nave, circularem perfeitamente e sincronizadas com sinais luminosos vermelhos e sonoros pulsantes azuis. Riu muito pra não se assustar também, se sentiu responsável pelo infeliz alerta e rapidamente pediu auxilio e ajuda.
– o que eu fiz de errado dessa vez? – perguntou em voz alta Okuka.

{Sim, continua}