Distantes da regência do tempo, quase, ou seja, distante 2,9 Bilhões de Quilômetros terrenos do Sol; da estrela (Velotropa 24), Nessa via-láctea. Imixy Okuka se encontrava sozinho, andando em círculos nos corredores da nave. E participando da sincronicidade dos estudos de Kolinson
A presença de inquietação nas análises inquestionáveis em que Kolinson se aprofundava, deixava-o muito mais questionador do que a criança. Pronto à isso, ficou observando por onde Okuka escolhia os ambientes. ELE aconselhou que a criança deveria preferir ficar sempre também questionador, e na sala de comando, muitas questões sugeridas magnetizavam aquele ambiente.
– Okuka!, pensou melhor em ficar mais tempo próximo ao núcleo verde1jaiano? – Aconselhou novamente à criança, e, esperou que Okuka respondesse, e já, com outras questões na mente adiantou outra dúvida sugestiva – Você já conversou com Urânia hoje?
A criança poupou palavras e fez um sinal mudra, com os indicadores das duas mãos elevados e conectados. O sinal respondia que sim. Sorriu e foi em busca de algo pra beber ou comer, no refeitório.
Kolinson se potencializava com toda realização espontânea com Imixy. Enquanto isso os painéis e hologramas interativos na sala de comando, realizavam os desejos navegadores de Depressive. Novamente absorvendo todo poder que saia do núcleo de Urano. O arquétipo Urânia se mostrava na celeste da nave, junto à também uma Sagitária. Kolinson anotou no diário o momento presente e interagiu com a inteligencia artificial da nave.
– Olá Depressive, você também gosta de se comunicar por sinais? – anotações nas dúvidas mentais de Kolinson se auto materializavam, imediatamente a escrita no bloco de notas mental.
Na mesma tela em que a anotação foi visualizada, Depressive respondeu:
Claro que sim Kolin! – Livre Depressive – E sintou que você gosta de fazer perguntas essencialmente óbvias.
Olhando para a tela holográfica, Kolinson reagiu levantando a sobrancelha esquerda, depois que ouviu a resposta de Depressive.
– Óbvio, e eu sinto que você também não quer conversar. – mais palavras soltas ao vento dentro da nave.
Uma tela auxiliar se aproxima da front esquerda de Kolinson, com o passado primordial em reprise.

 

{continuaremos sempre}