11:43.
O que esperar quando a constelação do bisão encontra o raio celeste de luz da constelação de touro? Ancestrais se comunicam é óbvio, avisos pra todos os netos, ao fechar os olhos.
Tradutores de linguagem oral podem, e devem, interpretar como mais um ciclo se repetindo, repetido, porém único, da passagem do satélite prateado.
Presença de luz circundante no satélite abrem canais para o inimaginável infantil humanoide, de qualquer existência ao redor.
Heranças de dúvidas antropólogas confrontam, nesse ciclo repetido, as novas óbvias dúvidas dos exploradores cosmonautas. Dizem outros que, Até da Ursa maior nos chegam notícias falsas como nova forma de linguagem.
Mundo dos mortos rugindo aos ouvidos sensíveis e outro espelho foi quebrado.
Outro Espelho comprado na praça dos, também mortos, comerciantes de palavras, ditos Gregos. Anúncio de civilidade, releia essa última frase.
Outras falácias duvidosas como iscas pra interessados em oferendas.
Cruzamento com semáforo espiritual. Viu ao alto um sinal? PARE!
Como conversas sobre instruções pesadas com linhas pretas infantilizadas.
Fobia do tom de voz da crítica, folheando páginas de um dicionário globo. Uma profecia, ou uma mensagem? Olha, uma nova palavra com origem afro-brasileira. Forte. Irradiação de guia. Em prol primordial ao elegante discurso divertido social na roda de samba e funk. No terreiro novo, o Dj toca discos com trance, e vemos vumes alegres grudados nos grandes alto-falantes. Olha outra falange.
– É ISSO MESMO, que eu observei quando olhei o sul celeste pela janela da alma, de uma casa aberta pra festas, rodas de conversas e ensaios abertos – ASSIM, disse uma idonia idosa para um escrivão EXU de rua.60404634_10218282782916970_8414594162753536000_n